quarta-feira, 3 de agosto de 2011

O que aconteceu cntg ?
- Mari ? o que faz acordada ?
- vendo meu marido chegar todo revirado. o que você fez ?
- eu-eu, é, eu não fiz nada.
- me traiu não é ?
- o que ? você está me perguntando isso agora ?
- olha, não grita comigo que eu te reviro do avesso. Estou falando sério ? onde você estava ?
- na-na oficina. nã-nã-não estou mentindo.
- ta bom, ga-ga-ga-gago, espero que se sinta bem con-con-confortável no so-so-sofá.
- ah, Mariana não faz isso.
- o que quer que eu faça ? Ah meu amor, pode chegar tarde dizendo que estava trabalhando com roupa revirada, cabelo bagunçado e perfume forte, eu não ligo, ser corna é comigo mesmo.
- mas a fany ta no sofá.
- é ? então dorme no chão.

Acordei no dia seguinte, estou com 6 mêses, não quero sair de casa :$'
- Mariana, vamos conversar ?
- não.
- vamos sim porra!' se liga, ainda não somos casados, e eu nem tava com ninguémm, você nem pode provar que eu dormi com álguém.
Kauã! - gritei - você está se escutando ? se liga, isso aqui não é um C.S.I Miami, é vida, é real. Cresce poxa.

- Mariana, eu amo você, eu quero viver com você, mas não posso ficar abaixando a cabeça, quando você quiser criar uma briga sem motivos.
porra!, então, vai viver sua vidinha, aproveita os 3 mêses que faltam, amanhã vou sair pra comprar um roupas, se quiser pode convidar umas prostitutas pra cá, melhor! dá uma festa, chama a escola, já que você não ta gravido.

- o que foi ? vai me culpar por eu não ter um útero ?
- estou quase lá. você não tem que ta curtindo, e zuando por aí. eu to grávida, isso aí é seu gozo idiota.
- idiota ? na hora de transar eu não fui idiota, na hora de te dar um anel eu não fui idiota, na hora de te pedir em casamento e não fui idiota! você é idiota, ou apenas está agindo como uma.
- idiota ?, se você usa-se camisinha eu não taria sendo idiota agora.
- eu não transei sozinho.
- hey! vocês estão brigando ?
- estamos conversando apenas, conversando ? às pessoas 'conversam' assim agora ? o que há com vocês ? vocês são apaixonados um pelo outro, estão discutindo feio assim agora ?
- ele me traiu.
- você fez o que kauã ? - deu um tapa na cara dele
- ei! , qual o problema de vocês ? eu não traí ninguém!
- um marido mentiroso, esse é meu problema.
- nós não somos casados! - kauã gritou, ele quer que o prédio inteiro ouça --'
- psé, talvez nem sejamos mais!

- então você não quer mais casar ? - ele soltou umma risada sarcástica - ta, e a Dilma não quer ser presidente.
- haha, não to nem um pouco pra suas brincadeiras, você é um idiota, um ridículo.
- quer saber mariana, meu amigos tinham razão.
- você tem amigos idiotas, eles falam coisas idiotas, eu sei o que eles falam sobre mim, eles não me conhecem. Eles são menos conhecem você Kauã ?

Você esconde coisas de mim, vocês. Todas a merda que você faz, aliás, não é da minha conta, eu não tenho marido, não tenho noivo, nem sequer 

Tirei a aliança e coloquei-a encima da mesa, tive vontade de joga-la no chão, mas sei que não foi barata o suficinte pra eu trata-lá como um lixo qualquer. Então eu a coloquei sob a mesa e fui pro quarto. O Kauã nn veio atrás e eu agradeci a Deus por isso, me aliviou saber que não teria de continuar brigando com ele. A Fany bateu na porta e eu abri, de início ela ficou em silêncio, mas isso incomodava-nos então ela começou.
- Mariana, você não quer casar ? é isso ? você está de que ? 6 mês não é ?!, - preferi ficar quieta - Mariana! O que ta acontecendo com vocês ? foi a briga com a garota na escola ou a suposta traição ?
- suposta ? suposta ? queria você no meu lugar.
- MARIANA! se ouve mew, não vai brigar cmg né ? o kauã ta certo.

- que se foda mew.
Saí por aquela porta, muito irritada mesmo, não to ligando pra nada ? onde estava o Kauã ? eu não sei, o o que eu penso agora ? nada. o que eu sinto agora ? pior. Eu não quero sentir nada. Eu só quero morrer, e saber que cada degrau que eu subi valeu muito a pena, mas isso não é possível. Não com o caminho que eu resolvi seguir, não com as merdas que eu resolvi fazer. Eu odeio o amor! O amor nunca vai me levar a nada, e agora onde eu estou ? andando pelas ruas, com uma barriga tão grande que impede que eu abra um sorriso. Essa barriga só me trouxe problemas, não quero ser mãe odiando meus filhos. Mas às pessoas vacilaram comigo, e eu vacilei comigo mesma, o amor não salva, e te faz sorrir ? faz sim, no começo é um potinho de ouro. Estou com nojo de mim, do amor, dessas crianças, de verdade. Tenho nojo de tudo, o amor ? está sempre no topo, estou aprendendo a pensar só em mim, em mim. Nasci sozinha, e vou morrer sozinha. E não estou nem aí. Então, eu espero que o mundo se forme em uma grande massa de merda.


...
Pudi abrir meus olhos, com tal dificuldade, havia persianas atrás de mim. A cama era dura e desconfortável, a cama havia grades, estava longe de ser um berço. Eu ouvia um bipe irritante demais por perto, algo estava sob meu nariz, tentei arrancar mas vacilei com isso, espero estar viva, ou não. Acho que meu últimos pensamentos foram muito fortes. Meus olhos se fecharam com facilidade, mas posso me manter acordada.
Coloquei moral .k
Não comentei com o kauã, sobre isso nem com ninguém. A vida é minha que se fda o que pensam ou dizem, não vai mudar, não vai diminuir nem acrescentar nada, a opinião dos outros que se foda (y, estão me criticando, me perturbando. Não sabem um pingo da minha vida. Nem o Kauã sabe.
Ele está tão contente com isso tudo, quer os filhos, vai cumprir com o compromisso e tal, e ainda que que eu vá pro baile *-* ele é um sonho.
Minha vida que é um pesadelo.

Posicionei-me em minha cadeira, olhando o quanto minha estava grande e nada sedutora.
- hello, hello.
- quem está aí ? – perguntei, estava tarde. Kauã ficaria até mais tarde no emprego.
- chave ? chave ?
A voz era da Sthefany, provavelmente bêbada. Estranho ;x Ela não deveria estar em estado normal para aparecer aqui em casa agora.
- caralho, estou perdida - ela murmurou denovo, eu podia ouvi do outro lado da porta.
- olá fany,
- olá Mari, entre
- que tal você entrar ? – pedi calma
- não posso, perdi minha chave.
- você bebeu ? você nem tem a chave daqui, você não está em casa – ela entrou
- Mari, i love you (:
- o que houve com você ? onde estava ? porque esta bêbada ? que saia é essa ? cadê sua calcinha ? o que você fez ?
- uuuuh *-* ruffles!
- você está me escutando ? estou falando sério mew u-u estou grávida porra, nn me estresse.
- você está gravida ? que lindo. - sorriu
- não estou com paciência pra isso ok, vou matar alguém logo logo u-u, se você for pra casa assim sua mãe te expulsa. Tome um banho frio aqui que eu te empresto umas roupas velhas minhas, antes da gravidez.
- relaxa cara. - acendeu um cigarro
- o que é isso ?
- cigarro - pulei da mão dela
- você está louca ? onde estava ? numa favela brincando de ser bandida ?
Eu estava empurrando ela pro banheiro, com sl, algumas esperanças de que iria conseguir colocar ela pra dormir.
Finalmente, ela tomou seu banho e dormiu no sofá da sala mesmo.
Esperei o Kauã na sala, quase cochilando, acordei com a maçaneta girando, o Kauã estava de roupa amassada, um perfume exalando de tão forte, e não era dele. Nem meu né --* não transamos a meses é claro.
Fomos pra casa, meio desesperados rs.
- como vamos sustentar gêmeos ? - perguntei um tico irritada
- porra mariana, você só sabe reclamar, eu tbm to com problemas, vê se vive um pouco o momento, cara, você ta grávida, isso é lindo. vamos tem 2 filhos, lindos e perfeitos, pra correr pela casa e alegrar nosso dia. então ao invés de você reclamar, você pensa um pouco, porq a hora que eu cansar dessa porra toda aqui, eu quero ver.
- ah não fode, você fala como se isso aqui fosse um filme de romance com um final feliz, caralho. isso aqui não é, é realidade, é ruim, é péeeessimo. porra, nós somos jovens mew, para pra pensar só um pouco ok, para de se comportar como um adulto responsável , porq você não é. se fosse, não teria me engravidado.
Nosso gritos podia ser ouvidos do corredor do apartamento, nossa primeira briga séria. eu vou me casar com ele, não quero brigar.
- olha, me da um tempo ta :@' - ele saiu.

Fui passar na casa do mew pai, estou com saudades dele ><
- filha *-* - me abraçou forte.
Foi estranho, achei que isso não fosse acontecer novamente, seus olhos brilharam, e então ele me abraçou denovo.
- o que aconteceu com você ?
- sabe, depois que você foi embora, foi bom, comecei a me tratar, estou deixando de ser aquele doente. Como ta meu neto ?
- achei que não quisesse ser avô. espero que a atual vontade venha dupla, porq são gêmeos. *o*'
- gêmeos ? - se assustou - muitas mulheres de 50 não conseguem ter gêmeos, você tem 15 e conseguiu ?
- sorte ?!
- na sua idade não acho sorte.
- psé. estou de 5 mêses já *-*' (...)
E nós ficamos ali conversando, não estou convencida totalmente de tal mudandça, mas é bom ve-lô assim.
Voltei pra casa, e o kauã tava com uma tromba imensa.
- ei, me desculpa - murmurei - sei, que to sendo chata, e tal. mas não sabe o quanto é difícil pra mim, estou novinha ainda e vou ser mãe, de gêmeos !, não briga comigo e tenta entender meu lado.
- está bem, nós vamos nos casa, tenta relaxar ok - me deu um selinho.
Não fui pra escola no dia seguinte, estava enjoada pra caralho --'
Kauã chegou com um embrulho lindo.

- o que é isso ? - ri
- abre.
Lágrimas escorreram, pouquíssimas. 2 pequenos sapatinhos feitos a tricô, um masculino e um feminino.
- é lindo, perfeito - dei um selinho - mas, não sabemos o sexo.
- chutei - riu
OMG, estou começando a gostar da minha gravidez :$'
Estão aprontando o baile da escola, eu não quero ir, não tenho motivos, quando eu for já vou estar no final da gravidez, não posso ir. o Kauã insiste, insiste que mesmo grávida eu tenho que ser feliz, mesmo grávida eu tenho que curtir.
- preciso de roupas, vou pedir dinheiro ao meu pai.
- eu tenho um emprego sabia ?
- é que mal sustenta esse apê.
- não vamos brigar denovo.
- não to mostrando ingratidão, só acho que nós precisamos parar um pouco pra pensar, amor, somos jovens, temos que economizar, depois da gravidez eu arranjo um emprego e vai melhorar, mas por enquanto, vamos aceitar ajuda dos nossos pais.

No dia seguinte fui a escola, as pessoas cada dia tão me olhando pior ;s Aula de ciências, conversando sobre usar camisinha é foda -'-
- ei mariana, essa aula é muito útil pra você, na próxima vez que a putinha mirim resolve dar vai lembrar né haha.
não sei quem falou e não quero saber, não tive resposta mesmo ;x estou deixando de ser marrenta. psé. o kauã assistindo, ficou calado, e me deu razão, só pelo fato de ter ficado quieta.
- acho que você deveria se calar, os problemas dele são só dela, se fosse você, já teria chorado e desistido a muito tempo, antes de criticar alguém, pense 300 vezes. - achei que o kauã fosse ficar quieto :O
- haha, namorado defendendo - riu - arrebento a mariana - a garota disse --'
- cachorro que late não morde - eu disse por fim.
- vou mandar todos pra secretaria se não ficarem quietos ok ?
Cheguei a ficar pasma, não sabia que iriam implicar comigo assim mew ;x' vou parar de frequentar escola e pronto u-u' me admira meu pai ainda estar pagando essa escola cara. não mereço 1 terço disso aq.

- cadê o kauã ?
- deixa ele um pouco, ele vai ser pai, deixa ele curtir enquanto pode, afinal, depois da briga de ontem, você deve mesmo dar espaço a ele, antes que ele desista de casar. não acha que é muito nova ?
- é, acho sim. não ligo mais pra nada.
- cartório, igreja ?
- queria me casar na praia.
- você tem 15 anos, não acha que é muito nova pra casar ? e ainda quer com todo exagero. Mari abra seus olhos.
- psé. cartório ?
- igreja ia ser lindo.
- quem iria ? você nossos pais e os noivos. é.
- e o padre.
- nn brinca cmg - fiz bico , ri.

- e aí meu amor ?'
- diga - respondi sem entusiasmo ao sorriso do kauã
- onde quer casar ?
- acho que cartório seria melhor opção, não é por nada, mas seja realista, ninguém vai querer nos ver casar.
- entendo, nn importa, festa grande ou pequena não vai representar um terço do que sinto por ti ><
- ah meu love *-* sabe, quero saber o sexo da criança.
- é,eu quueria saber também, quero um casal, uma filha bailarina e um filho jogador de futebol - euri
- é ? quero uma filha estilista e um filho DJ.
- DJ ?
- ou playsson, haha.

Na escola, a raiva me odeia, como se já não basta-se a gravidez na adolescência, tantos problemas, não saber quem é meu pai, ainda tem isso, ainda sou rejeitada. Não, eu não tenho adolescência. não mesmo.
- e então ? sabe, putinha, ainda não esqueci a sua revoltinha lá na sala de aula.
- porq tanta raiva de mim, não sei nem quem tú é u-u
- Nick, sabe nn sei como o kauã reparou em uma pirralha com você.
- ah entendi, é recalque né ? consegui e você não (y
- não é isso, o kauã além de lindo, ele não é como a maioria, ele não come e joga fora, ele assume tudo o que faz, ele não sai fazendo filhos por aí, isso foi um acidente, e agora ? haha, agora todas vamos ter que lamentar por um atleta lindo, que por uma puta igual a você, vai ter filho, e virar 'homem' antes da hora.
- vai nessa recalcada sabe, não ligo pro que você fala, ele é especial sim, tem certeza que eu sou a puta ? - sim, ela tem - eu não passo nos corredores deixando todas arrastarem as mãos em mim, não ando com uma saia tão curta que vêem até seu útero, se acha tão gostosa que quer ser capa da playboy qd fizer 18 ano ok, fla sério mimadinha, você acha que os garotos gostam de você pelo seu corpo, acontece que você é a bonequinha deles, comem e te largam, por isso que tu me odeia tanto não é ? o Kauã é fiel a mim, e depois de problemas ainda estamos juntos, foda-se se você não gosta, aliás, pensa nisso ta ?
Cheguei no apê, joguei minha bolsa na poltrona da sala. Tomei um banho, o Kauã taa trabalhando, ajudava o pai na oficina, é, vamos ser a nova família de Os Simpsons po . haha.
Logo ele entrou por aquela porta, trasendo junto seu cheiro de graxa.
- oi linda, como se ta ?
- bem - selinho - hm, cantinga eim - risinho - vai tomar banho ><
- é, vou bem também ta u-u - beijou minha barriga.
- sabe quem encontrei hj ? Mylena, sabe, ela pareceu bem amigável, disse que tava com problemas e tal.
- hm, podiam voltar a ser amigas.
- hm, não vou lamber o cú dela, ela que venha atrás de mim.
me deu um selinho.
- hm, cheiroso - ri - ta arrumado pra que ? *-*'

- quer jantar ?'
- vamos - sorri
tomei um banho,me arrumei, ele fez o mesmo.

Chamou um taxi, chegamos num restaurante, lindiiiiiiiiiiiíssimo. tudo muito bem arrumado e muito bem servido.
- reserva ? - recepcionista .
- sim.
- sim ?
- surpresinha - riu
Puchou a cadeira pra mim, fez o pedido. As luzes se apagaram, alguns gritaram, mas em seguida seguiu o silêncio.
E apenas uma luz se acendeu, mirando nossa mesa.
- Mariana, apesar da pouco idade, do pouco tempo,andamos enfrentando tantas coisas juntos, brigas, e ploblemas tornaram nosso relacionamento cada vez mais firme, você é única, você é linda, você é minha diwa *-*' você realmente é a melhor mulher pra mim pra mim anjo, e quero passar cada dia de minha vida com você, nada é eterno, mas isso vai duurar muito. Porquê eu te amo, e não quero ninguém além de você ao meu lado.
Abriu a caixinha preta que ficava presa firme em suas mãos.
- está na hora de substituir esse anel não é ? - riu - Mariana Bouvier, aceita se casar comigo ? eu prometo te fazer feliz e apesar da pouca idade, acho que tudo que passamos nos deu mentalidade suficiente pra escolher cada passo de nossas vidas.

Senti algumas lágrimas escorrerem, e eu vi que todos olhavam pra gente, não pude imaginar coisa mais linda.
- sim, *-*' meu amor, meu Kauã, eu te amo, e quero muito viver com você, com todos nossos problemas, com você eu esqueço tudo, e com essa dádiva que vai vim pra gente, vai ser tudo perfeito. Eu te amo s2'

Muitos sorriram, alguns deixaram escapar algumas lágrimas, e no final todos bateram palmas. [aaa] eu vou me casar *-*' ><
e então ele colocou o anel em meu dedo, me fazendo chorar mais ainda ali *-*

Fizemos um jantar ótimo, é claro que não podia ficar melhor *-----*' Depois seguimos pra casa. Chegamos em casa. Tomamos banho e fomos deitar, foi impossível dormi, pensando em tudo que aconteceu *-*

cheguei na escola com um sorriso enorme no rosto, mas não saí explanando o que aconteceu né --'
- hey fany >< , o kauã me levou pra jantar ontem, às luzes se apagram, e qd acendeu , foi só diante a nossa a mesa, e então ele me pediu em casamento (...) - blábláblá, contei tudo pra ela. tudo.
- mostre-me o anel u-u - mostrei, e seus olhos brilharam - lindo *-* cara, você tem sorte. - pq às pessoas repetem isso pra mim ?
- amor - selinho
- oi Kauã - fany comprimento ele.
- e aí, já fofocaram ? - riu
- sabe que hj eu faço 4 meses não é ?' *-*
- cla-cla-laro que eu sei - mentiu
- não, você não sabia - ri
- psé :/
- vamos assistir filme hj ? *-*'
- filme ? - fany não parecia interessada
- éeee >< - insisti
- se agente assistir terror tu promete me agarrar quando tive medo ? - kauã riu
- ok - ri - vamos então né u-u'
- vamos então DDDDD: '
A noite chegou e eu como sempre mal me ligava no filme, avá. Senti algo bater sobre minha barriga, estranho. Por dentro; O sangue que pulsava sobre minhas veias se acelerou e eu tive uma alegria imensa. O movimento se repetiu e parou.
- chutou - ri,



- o que ?
- como o que kauã ? o bebe chutou *-* nosso bebê chutou - sorri
Seus olhos brilharam e sua mão foi em direção à minha barriga.
- não sinto nada - riu
- parou - fiz bico, e o kauã me deu um selinho.
- psé, to sobrando nessa u-u - fany reclamou haha.

Eu to me sentindo um bujão e não sei pq ainda frequento à escola, o tempo ta passando rápido, e sinto que minha barriga aumenta a cada dia, eu e o kauã estamos cada vez mais próximos, e cada dia me afasto do meu pai, não acho isso tão legal, aliás ele é meu pai e vai ser avô, ou avô-pai quem sabe, e eu sinto falta dele né :/ vai saber. Não sei se vou ve-lô, não sei se ele quer me ver, só sei que me chateia ver a mãe e o pai do kauã mesmo depois de tantos problemas conversando e incentivando ele, enquanto meu pai mal da sinal de vida pra vida pra mim.

quiero quiero quiero que se pare el tempo ♪

- alô - murmurei
- oi mari - voz da mylena ?
- mylena ? ta me ligando porq ?
- como cê ta ?
- vou bem ;3'
- ah, como vai na nova escola ?
- bem melhor do que na antiga sabe. Estou agora na highlight sky. c2'
- sério ? ;0' que foda mew, é, ainda estou lá no inferno ;s'
- cada um tem o que merece - fui grossa né u-u , só um pouco ;$' rs
- psé, sabe, to com saudade de você.
- hm - foi só o que eu disse.
- mari, poxa, fale comigo direito ><
- estou falando Mylena.
- sabe, quero minha amiga denovo.
é, fumou muito maconha -'-

- é, acho que você não foi minha amiga.
- é não fui, mas desculpa poxa ><, podemos tentar. só tentar.
- talvez, olha só me liga depois ok, beijo, tchau.
haha, no cú u-u.
- que cara de cú é essa amor ? - kauã tava engraçadinho haha -.-'
- Mylena, veio lamber meu cú, quer fazer amizade. denovo.
- não era isso que você queria ?
- sabe o que eu quero ?
- não. ¬¬*
- pastel de banana com bastante canela , hmmmmm. traz pra mim eim ;9
- ah não, esses desejos não ta u-u'
- se não trouxer eu posso morrer, imagina - ri
- aé, sei. e se eu trouxer o lulu ganha um dedo, to com preguiiiiiça amor ><
homem é foda -'-
- a hora que quiser sexo nn vem me procurar
- sexo na gravidez ? quem me dera.
- haha.
Cheguei na escola no dia seguinte com uma cara de cú da porra, comia tudo o que via pela frente, estava mais louca que esses favelado em baile funk .k - todo mundo me enchia de perguntas sobre a gravidez - e eu vou matar um ok -'-

MARIANA COM 5 MESÊS 
Fui fazer meu ultrasson, dessa vez só o kauã foi comigo. eu odeio esse gel gelado D:
- qual o sexo da criança ? - kauã curioso
- eu quero surpresa >< - implorei
- ah qualé.
- ainda não tenho certeza do sexo, mas posso dizer que vão ser gêmeos.
- gêmeos ? - perguntei estérica.
- você não pode ter um filho - ele berrava - não um filho meu - completou
- não falei que o filho é seu pai.
- então você anda dando a buceta pra tooodo mundo ?
- pelo menos tooodo mundo, não me come a força.
- de quem é esse filho?
- não sei - fui sincera.
- não sabe ?
- quer saber , que se foda. Você está fora da minha casa blz ? não quero puta mirim grávida aqui. pega às merdinhas, e vaai morar com os pais do teu filho.

soltei uma risada sarcástica.
- vai me expulsar ? - ri dnv - vou me mudar daqui pra delegacia, conversar sobre o pai que eu tenho.
- não brinca comigo.
- não estou brincando, eu vou ficar, e ai de você se tentar me tirar (;
Subi pro meu quarto, tomei um banho e dormi.
Não.
Não quero chorar, não quero gritar, nem morrer. Pela primeira vez nessa web novela bosta vida.
Mas.
Mas eu quero ser feliz com o Kauã, e com o nosso filho ou filha, tanto faz *-* não importa a opinião dos outros. Nossa vida vai ser perfeita u_u'
Acordei no dia seguinte, coloquei uma blusinha confortável, estou de 2 meses, posso não ter tanta barriga ainda, mas só o fato de saber de que estou grávida não é nada confortável. Kauã veio aqui em casa me buscar, e fomos juntos, levando tudo na brincadeira, como se isso fosse um filme ou uma novela, chorar ou reclamar não vai adiantar porra nenhuma mesmo.
Mas eu não aguento.
Não aguento que me julguem, não aguento entrar naquela escola e me olharem estranho. Não. Mas eu consigo e que se fodam. Eu ouvia comentários do tipo " essa não vai ser ninguém na vida" ; "tadinha da Mari" ; "quem mandou ser puta ?" ; e blablá. Mas todos mantinham-se corretos.
- quero que seja uma menina.
Não, não fui eu que disse isso, foi o Kauã, seu olhos brilhavam, e ele parecia feliz em apenas saber que vai ser pai. Em apenas poder ter aquela fantasia toda do bebê e seus pertences.
- porq ? - murmurei sorrindo.
- quero ter todo aquele 'paparico' , todo aquele xodó, quero proteger, e ouvir ela dizer papai - sim os olhos dele brilhavam a cada palavra mumurada.
- só estou de 2 meses - ri
- daqui a pouco de 4, 6, 8, e quando for ver, estará de 9 e irá nascer - riu
Virou meu rosto e me beijou. Mesmo depois de tantos problemas, ainda somos românticos *-* psé. E o anel lindo ? continuava comigo, mantendo o dia mais feliz de todos preso em minha mente, e no meu dedo .k

- ei, quer pensar em nomes ? - fany estava alegre também.
- vocês podem estar loucous - ri - como pode estar tão felizes quando tenho 14 anos e estou grávida ?
- vocês está estérica amor. Que isso, vamos ter uma filha linda -ou não - que vai nascer saudável -ou não - e vai ficar bem no final. Então se você relaxar, vai ficar melhor *-*,
- a um mês você nem queria esse filho.
- não quero brigar cntg, daqui a pouco eu volto.
Tem coisas que não precisam ser ditas né Mari ;$ ><'
- dá um tempo pra ele porra.
- rlx fany u_u
- que tal o nome , hm, isabelly, gabrielly, luciana, sophia, sophie.
- que tal sthefany ?
- hm,sophie é lindo né ? *u*
- não ;o Jully *u*
- nome de cachorro .k
- Sophie ,lindo, eu gostei. Pode ser menino - kauã voltou
- Kauã Júnior.
Depois da aula, fui pra casa, como de costume, estudei um pouco, arrumei minhas coisas pro dia seguinte, briguei com meu pai, o que já era rotina.
Amanhã eu faria meu 1° ultrassom, e não queria que meu pai fosse. Mas ele insistiu. E ele não vai u_u

Acordei animada. O Kauã veio com a Fany aqui me buscar.
Chegamos no médico.
Enquanto eu sentia aquele gel frio na minha barriga, o Kauã sorria pra tela. Como se entendesse aqueles borrões *-*. Eles estavam realmente felizes, sim. Ele estava.
muito mais que eu. Não sabemos se é menino ou menina, eu queri uma surpresa *u*, mas o Kauã, pf, quer saber logo que der.
Fany durmiu lá em casa hoje, meu pai não.
- sabe, estou anciosa pro baile e você ?
- como posso estar anciosa pra alguma coisa com essa barriga fany ?
- porra. relaxa mariana. você vai no baile.
- faltam meses ainda.
- é ?
- vou estar com uma barriga gigante e enjoada, kauã vai me dar um fora pra sair com uma líder qualquer, eu vou chorar e meu filho vai nascer sem pai.

A escola hoje estava chata, chata só pra mim. Que estava ali dentro da sala da psicóloga, já à 2 horas, literalmente. Falando sobre camisinhas, gravidez, filhos, responsabilidade. blablá.
- posso sair ? - pedi.
- não, ainda temos que conversar.
- não, não temos :@
- relaxe.
Estou cansada de todo mundo ficar mandando eu relaxar, porra. Eu já estou relaxada.

Cheguei em casa relaxada por ter saído daquela sala, finalmente.
- estava pensando filha - filha ? - vamos mandar seu filho pra adoção.
- seu pau junto.
- vamos chamar um casal aqui, conversaremos e eles cuidam do filho está bem ?
- só pode estar louco.
- já decidi, vai ser isso.
- o filho é meu. Nem avô você vai ser. porra, fica na sua, eu sei muito bem o que vai ser.
- me respeita ou ele nasce sem mãe. - nasce sem mãe ? ¬¬*
As coisas estão até fáceis pra mim, psé ;s
- Mariana, eu vou alugar um apartamento pra você, imobiliado e tudo, você sai da minha casa e vai morar com seu namorado, seilá.
- tenho que perguntar pra ele, ele também tem pais. Mas os dele, são pais de verdade.
huuuuuuuuuuuuuuuuuuum ; huuuuuuuuuuuuuuum ; huuuuuuuuuuuuuuuum
- alô,
- oi amor >< tenho uma poposta pra ti *-*
- fala,
- meu pai aluga um apartamento imobiliado pra gente e agente mora juntinho.
- está falando sério ?
- sim sim *-*'
- adoraria, vamos !
- paaaaaaai, aceitamos. - pude ouvir às comemorações ¬¬* - despois te ligo então, beijo.

1 SEMANA DEPOIS

Estamos no novo apartamento *-* com tudinho aqui já, espero que a gente não enjoe um do outro, aliás, vamos nos ver, dia&noite *u*' direto.
O DVD estava ligado, mas eu não prestava atenção no filme, eu estava sentada no colo do Kauã, luzes apagadas, suas mãos envolviam minha barriga. Sua boca foi de direção a minha orelha, e num sussurro, doce e leve ele disse :
- eu te amo.

- seu pai te engravidou ? - Mylena parecia preocupada, foi estranho encontrar ela ali na loja.
- não, você nem se preocupa.
- psé, muita coisa aconteceu sabe, estou com uma fama horrível na escola, descobriram que eu dei pra 3 - ela ficou sem graça - e está, horrível. mal tenho amigos, e até meus baba-ovos sumiram :/ está grávida de quem ?
- do kauã.
- nossa ainda estão namorando ?
- morando juntos faz um tempo - ri
- omg. você tem sorte.
- acho que não.
- está de quantos mêses ?
3 já. quase 4.
- poxa. parabéns.
- não acho isso bom, o kauã ta animado, eu nem tanto;
- imagino.
eu e mylena denovo ? a garota que explanou minha vida ?
- e o guilherme ?
- me traiu, denovo.
- avisei. - fiquei séria.
- psé. enfim, estou indo agora, qualquer hora agente se esbarra, foi bom te ver.
- é, psé .

{...}'

Mariana


Kauã


Sthefany
 
Oi linds da Mari *-* Espero quea 2ª temp seja lotada de leitores igual a 1ª 'yn - se me abandonarem eu abandono isso tudo *-* O primeiro leitor aq ganha uma bala Q - amores *-*só vou começar a web qd os posts estiverem no 150. Quando der eu venho aqui e ajudo a upar tbm (: upem bastante praMari de vocês :( não precisem ter pressa :* amo vocês s2


NÃO DIVULGUEM AQUI :*
Pude perceber que minha mestruação não descia nesses últimos meses. Não, eu não estava grávida. E se estivesse iria nascer sem pai u_u Q
- ei fany, o que faria se eu te dissesse que estou grávida ?
- você ta grávida ? -riu
- não sei né u_u
- quem ta grávida ? - kauã
- nin-ninguém - gaguejei com medo
- espero - mostrou desconfiança, me deu um selinho e foi emmbora.
- ey, amanhã eu e o Kauã fazemos 3 mêses *-* '
- ai dar o que pra ele ?
- minha presença não basta não porra ? u_u '
- not. O que ele vai te dar ?
- não sei *-* só sei que amanhã nós vamos sair (: '

Estavamos em frente ao mar, estávamos abraçados e o vento batia em meus cabelos. Nossos olhos fixavam um do outro. Cada palavra para ser dita naquele momento deveria ser dita com toda precaução, para não extragar aquilo. A praia estava vazia e calma, realmente era o dia perfeito, estava no fim do por do sol. Nossos lábios se tocaram e eu pude sentir toda lentidão do momento. Meus olhos foram tapados, e por meio segundo eu fiquei curiosa.
Pude abrir meus olhos, que brilharam ao ver o objeto mais perfeito.


- MARI, já estamos juntos à um tempo, e eu te amo mais que nunca *-* Cada momento nosso é perfeito, e eu quero agente eterno *-* Quero passar cada dia contigo e quero que meu coração continue disparando sempre que te vê sempre *-* que nada mude, eu te amo s2' Isso é oficial agora - deu um risinho
- OMG, mas, isso é lindo *-* é perfeito, [a] , eu te amo demais demais demais Kauã s2 - sim, eu estava sem palavras.

E mais uma vez eu pude sentir o vento baater sobre nossos rostos, eu mal podia piscar *-* aquele momento era único. Eu gostaria de ficar ali pra sempre. Eu não sentia nada. Eu me sentia imóvel, como se sangue não pulsa-se sobre minhas veias e meu coração bate-se apenas pelo Kauã. Esse nome rodava em minha mente, com ajuda de um simples sentimento chamado amor. Era só o que eu sentia. Era só o que eu queria sentir.

- OMG, então ele te deu um anel ?
- psé . perfeito não ? tenho que te contar uma coisa *-*
- diz *-* - pareceu curiosa
- sabe, na festa que você deu, eu e o Kauã não usamos camisinha, e minha menstruação não desce. Eu não posso estar gávida, meu pai me mata - literalmente - e o Kauã não vai aceitar. Porra *-* eu tenho só 14 anos.
- você só pode estar brincando, vamos comprar o teste depois da aula, e se der positivo, espero que não, agente conta pro Kauã, você conta pro Kauã e se der negativo , tomara, ele nem precisa saber blz ?
- ok - sussurei sem motivo.
Depois da aula, fizemos como o 'combinado' e depois fomos pra minha casa *-*'
- se der rosa, você esta grávida, sabe né :/
Não respondi, fui ao banheiro *-* demorei um pouco lá. A Fany soube a resposta ao ver que lágrimas escorriam de meu rosto.
Lágrimas.
Não falo, não suspiro, não penso. Às lágrimas absorviam uma parte de mim agora.
Não.
Não haviam palavras apropriadas pro momento.
- Kauã, pode vim aqui ? - minha voz não escondeu o sofrimento por traz do telefone.
- o que houve amor ?
- só venha. 
- desliguei.
Minutos depois meu amor estava lá. E a Fany saiu um pouco.
- o que houve ?- me abraçou
- Ka-Kauã, eu to grávida.
- de mim ?
Não, eu não respondi. Eu não sabia a resposta. psé :/
- Mariana, eu não quero saber, eu tenho 15 anos, eu sou novo, eu não quero um filho, eu não vou assumir essa porra.
- essa porra saiu do seu gozo, você é um idiota, nojento. - tirei o anel e joguei no chão - vai embora - abri a porta com lágrimas escorrendo sob meu rosto.
- Mari, perdão - me abraçou
Apenas um abraço seguido de 3 palavras.

vamos ficar bem.
[aa] Cheguei em casa, primeira coisa foi pegar o tel *-*
- alô - a voz do dele era alegre, como se tivesse feito algo divertido.
- oi Kaio, porq mandou flores pra mim ?
- calma Mari, queria te agradar
- então não queria blz, não preciso dos seus agrados ou das suas frases bonitinhas.
tu-tu-tu-tu-tu-tu
É óbvio que era mentira, eu adoro receber essas coisas, mas eu não tinha cabeça pra pensar nisso agora.
Kauã Stuart - esse nome rodava em minha mente *-* contra minha vontade, minha cabeça se fixava apenas neste pequeno nome. Neste garoto *-* neste idiota, mediore, que fez cada fio de minha pele se arrepiar quando me beijou pela primeira vez, que fez eu dar risadas ótimas nestas semanas de namoro. Que me tornou uma garota apaixonada, independente de qualquer coisa. Eu não chorava, não escutava músicas melosas, não acontecia nada típico de novelas das 8. Psé, eu apenas ficava sentada em frente a TV, assistindo qualquer merda que estivesse disposta a me fazer rir, talvez até chorar.

@ Mariana B. acabou de entrar

Kauã diz :
quer conversar ?
@ Mariana B. diz :
Não - menti - você é um nojento, não acredito que disse aquilo tudo pra mim.
Kauã diz :
o que você queria que eu disse-se ?
@ Mariana B. diz :
Entenda, estou estranhona escola na metade do ano, preciso me enturmar, líderes de torcida, não é striper. Não vou ficar tirando roupa ali, só vou torcer. Não é nada demais.
Kauã diz :
não tem muito o que tirar, quase não há pano.
@ Mariana B. diz :
isso é desconfiança ?
Kauã diz :
não, é ciúmes.
@ Mariana B. diz :
Não precisamos dele.
Kauã diz :
talvez.
@ Mariana B. diz :
não.
Kauã diz :
volta cmg, cada palavra ali, foi sem pensar; você não é idiota né nada que eu disse lá *-* Você é uma garota linda, única, perfeita. A Mari. A minha Mari.
@ Mariana B. diz :
hm, não sei *-*
Kauã diz :
posso passar aí pra te ver ?
@ Mariana B. diz :
não.
Kauã diz :
to indo
Kauã desligou-se.

E em poucos minutos ele estava lá, em pé à minha porta, com o sorriso lindo de sempre *-* as mãos que não saía do bolso. Os olhos claros que fixavam os meus.
- oi - sorriu
- oi - não sei porquê, senti minhas bochechas se avermelharem
- posso entrar ?
- já está aqui
Dei espaço para que ele passa-se.
- vai me perdoar ?
Eu pude ver que ele não mentia, então eu aceitei voltar com ele. O clima esquentou e eu senti que ira-mos transar, psé. Ele era delicado comigo, e cada movimento era incrivelmente agradável. O corpo dele estava colado ao meu, e eu sentia que ele gostava disso, assim como eu.

Tiramos nossas roupas aos poucos e com o tempo, nada preenchia nossos corpos. Ele me chupou todinha, de forma mais sensual e deliciosa. Ele não apressava nada, ele envolvia seu corpo com o meu, me fazendo fechar os olhos e aproveitar cada minuto daquilo. Me levantei, e com sensualidade chamei ele p/ a cama do meu pai. Logo o Kauã meteu em mim - sim - o Kauã meteu em mim, começou devagar, e logo que ele aumentou a velocidade meu gemidos foram a loucura. Todas as preocupações da minha mente caíram.
Depois eu caí de boca chupei o pau dele, ele adorava, gemia muito, e eu adorava aquilo. Eu estava louca de tesão.
Ficamos ali por um tempo *-* foi perfeito, acho que às vezes os homens começam um braga de propósito, sabem como vai terminar. Antes da 18:00 hrs ele foi embora, meu pai iria chegar e ele não podia saber nadinha.
Troquei os lençois, aliàs estava sujo e com um cheiro de gozo.

No dia segunte, chegamos na escola de mãos dadas *-* E eu pude sentir a inveja me rodiando D; Não pude deixar de sofrer comentários.
A cada beijo nosso, parecia que a escola tremia, pode até ser exagero,mas ninguém gosta da gente junto. Os garotos porque querem me comer, e às garotas, que só pensam em dar pro Kauã ¬¬*
- oi lindos *-*, voltaram né, amém
- oi fany - sorri
- vão sair amanhã ? vai ter festinha do sexo lá em casa. Vai ser muito bom, vocês podem ir em casal e já vão ter a transa garantida - riu
- blz, eu quero - fiquei animada - vamos amor ?
- vamos *-*, amanhã - sábado - que horas ?
- cheguem por volta das 20:00 hrs, meus pais não tão em casa mesmo 6

Dormi na casa da Fany pra ajudar ela arrumar as coisas amanhã. Acordei com uma disposiçãaaaao rs
Então desde de cedo fomos arrumando tudo , salgadinho , muitas bebidas , refrigerantes , tem gente que na festa só bebe água e refri ¬¬* , enfim , preparamos tudo . Sabe aqueles porta-balas/ achoqueéisso , ao invés de balas , botamos camisinhas *-* , porta- camisinha.
Logo na hora mascada o pessoal foi chegando, nãao demorou muito pro Kauã aparecer também, logo muitas garotas se juntaram no meio e fomos dançar. Eu já estava mais pra lá do que pra cá.
- eu amor, vamos subir - o kauã murmurou no meu ouvido, foi quase impossível entender, já que o som estava insurdecedor - vamos brincar - riu
Não lhe respondi, apenas fiz uma carinha de safada e logo subimos, uns quartos estavam separados pra festa e outros muito bem trancados, a casa dela era uma mansão ;x
Mal entramos e o Kauã mal deixou eu respirar. Cada movimento, ao contrário da última vez, era muito rápido. Não demorei muito pra ficar completamente nua. E logo que abri às pernas o kauã me chupou com vontade, levando junto meu gozo. Eu já estava mais que molhadinha naquela hora.
- chupa meu pau, chupa amor
E então eu me ajoelhei diante dele, enfiei aquilo na boca, e chupei com vontade. Eu estava muito louca aquele momento, e nenhum movimento mais precisava de planejação. Me lembrei que não pegamos uma camisinha $: mas eu não iria engravidar (yn' Eu não queria parar já estava descontrolada, para aumentar meu tesão, o Kauã me virou, e com tal força meteu em minha buceta. O Kauã parecia que queria me estourar, eu gemia igual uma cachorra, e tendo certeza de que dos corredores puderam ouvir e saber que eu estava transando. Eu mal conseguia me conter.

Logo o Kauã despejo um pouco de lubrificante sobre meu cú. E seguiu por um leve metido, e devagar ele conseguiu enfiar tudo. Logo ele fazia vai-e-vem e eu novamente gemia pra krl. Eu queria descer e curtir a festa. Logo que gozei paramos e descemos. Eu dançava com todo mundo.
Depois das 3 eu já estava mais que bêbada. Acho que transei com mais 2 garotos além do Kauã, mas não me senti culpada nem um pouco. Ele tava num foooogo com as meninas. Eu nem iria encrencar.

{...}

Abri meus olhos com dificuldade e senti minha cabeça latejar, eu estava com uma sede de camelo, mas mal consegui me levantar. Não me lembro de ter vindo me deitar, o Kauã envolvia seu braço e meu corpo e dormia. Dei um selinho nele e me levantei. Por sorte Fany já havia acordado, tomei um banho *-*
- por que não me chamou linda, teria te ajudado a arrumar.
- relaxa (: , bom dia. beleza ?
- não, dor de cabeça filha da puta ;@
- imagino, não bebi tanto ontem não. Transou com quantos ?
- uai, só o Kauã - menti
- aham aham, agora a verdade u_u
- só o Kauã e mais 2 desconhecidos, não comenta com ele - ri
- blz, é, peguei pouco ontem também *-*
- bom dia amor s2s2
- acordou ?! - avá - me beijou
- omg, tira essa cantinga daqui filho, joguei uma toalha em cima dele.
Terminamos de arrumar tudo e deitamos, e dormimos, dormimos e dormimos. Psé.
Acordei na segunda, tomei um banho e coloquei a roupa da escola.
Esperei que todo mundo se arrumar para sairmos, tomei um copo de Ades e fomos. Não era só entre a gente que a festa era comentada, realmente na boca de todo mundo. :O '
Depois da aula fui pra casa.
- tava aonde ?
- na casa de uma amiga. Comeu quantas ninfetinhas e fds ?
- haha, respeito.
- não vou nem comentar sobre essa palavra cntg denovo.
- se for sair me liga, o Kaio te ligou igual um desesperado, acho que ta gostando de você.
- foda-se ele *:
Logo separaram os 2, e a palhaçada acabou ¬¬* Sthefany veio atrás de mim,é, vamos pegar amizade *-*
- Mari, espera, não vai falar com o Kauã, sabe que ele só faz isso pq te ama
- ou pq não confia em mim, não to nem aí pra ele, vamos pra sala.
Sentei na cadeira da janela, ficava 2 fileiras afastada do Kauã. Logo um bilhete veio parar aqui.
Ei amor, já que está solteira, rola eu e você ? beijo, Gustavo.
R : não sou pro seu bico blz -‘- Mari.

OMG,que ridículo, estou sentindo que tudo está igual ao começo, blz, eu sou a ’Megan fox, desejada e invejada.
. É minha vida da cada olta mew.
E eu sigo em frente, E hoje nada vai me abalar, Sem olhar pra trás eu vou na fé
Não - Vi que tudo ao meu redor ia desmoronar, Como um sonho eu acordei em outro lugar - E eu, senti que a estrela brilhou, e nada faz parar ♪ - Psé,minha música *-*,
No intervalo, o Kauã, cagou&andou pra mim, é, o orgulho dele é bem maior que o amor que ele finge sentir, só a Sthefany ficou comigo; eu to começando a me enturmar com algumas pessoas.
Entrei na sala, e o ‘grupinho’do Kauã ainda não tinha entrado ¬¬*
- Mari, essas flores chegaram pra você – a diretora falava sem interesse nenhum
Fui na porta receber,e o Kauã vinha logo dps.
- ah mew, que lindas, obg amor – abracei ele
- errou de caminho filha ? não te mandei essas porras não, quem te mandou flores ?
- na-não foi você ?
“iiiiih” a sala falou D: - ou melhor, metade da escola.
Cartão:

Pra minha namoradinha linda e perfeita *-* own , te amo Q – bj. Kaio.
Amacei aquilo com todas minhas força, e foi direto pro lixo, é, agora eu sou namoradinha ? não sei o que o Kaio quer ¬¬* - agora sim, eu não volto com o Kauã. OMG, que merda velho D:

Saí da sala e fui direto ensaiar, mesmo sem cabeça pra isso ¬¬* Mas o ensaio durou pouco.
- quer me explicar quem é que fica te mandando flores ?
- não é ninguém, é só uma amiga.
- ah, minhas amigas não costumam me mandar flores.
- as minhas sim.
- porque você deu aquele ataque ?
- poque estamos brigadas e... eu não quero falar com ela - pensa rápido porra
- ah, fala sério Mariana. Você acha que eu sou o que ? um otário não é / ocê é uma crian
ça, cresça e apareça, vai ser feliz, você esta parecendo uma puta ok. Que se foda. Você é uma idiota.
O Kauã falava comigo como se eu fosse um nada, cada palavra abriu um buraco dentro de mim *-* Eu gostava de verdade dele, e ele fala uma coisa dessas pra mim, mew - não importa qts erros cometi , ele sabe que eu amo ele. Segurei fortemente meu choro.
- é, sou mesmo, por achar que um dia a gente teve alguma coisa especial.
Eu precisava ser dramática, pra ele voltar logo se rastejando pra mim n - deixei quem 2 lágrimas escorrecem facilmente, percorrendo minha face, borrando muito pouco minha maquiagem. Isso não importava.
- rlx
- não Mariana, eu não vou relaxar.
- você não vai líder e ponto final.
Ele foi pra sala. Nossa que vontade de matar ela :@ Como ele me deixa falando sozinha aqui ¬¬ É, eu vou ser uma líder.
A aula acabou e o Kauã foi treinar.
- Ei, Fany, tem como me levaar no tal ensaio por favor ? (:
- beleza - sorriu
Fomos, tinham umas 12 líders lá. E algumas garotas não gostavam de mim lá tbm :$' Eu fiquei ali, aprendendo algumas coisas por horas, e fui aceita no grupo *o* recebi o uniforme . nossa, que rápido D:
- venha amanhã com o uniforme ok ? - pediu fany
- beleza.
Cheguei em casa, e o Kaio tava lá.
- já disse que não te quero aqui em casa.
- nossa, boa tarde pra você.
- é, mt boa tarde, tchau.
- calma, namoradinha.
- olha só, eu estou namorando com alguém que eu amo de verdade, então não fique me chamando de namoradinha, me dando selinhos, a não ser que esteja-mos com seus pais ok ?
- beleza. Só vim deixar uns documentos pro seu pai, extressadinha. Tchau.
Meu pai chegou mais tarde.
- como foi na nova escola ?
- legal
- é, soube que você está namorando .
- hm, quando você diz, 'soube' quer dizer que o Kaio te contou, quero que tire a chave daqui de casa dele.
- se o pai do kaio ficar sabendo você ta fudida, você sabe que eu não mudei né Mari, que ainda sonho com aquela noite que você estava de quatro pra mim, que abriu a perninha e pediu pra eu chupar sua bucetinha. E gemeu iguaal uma louca quando eu meti em você - nossa, ele não falou coisa com coisa D:
Fui pro meu quarto.
Acordei no dia seguinte, coloquei a roupa de líder. E ao andar pelas ruas, velhos mexiam comigo ;s Cheguei cedo na escola hoje *-*
- Mariana, eu falei que não queria que você fosse líder - Kauã gritava
- você não manda em mim, eu sou só uma lider, isso é comum.

Todos olhavam pra gente. TODOS
- Comum ? - ele gritou - ta vendo quatro garotos tão babando em você agora ? acho bom você sair disso.
- que porra meô ! Você não manda em mim ok ? eu não vou sair dando pra esse garotos. merda.
- Cara eu te amo, e não sabe o qt foi difícil te pedir em namoro sabendo que você e a Mylena brigaram, ela nem fala cmg agr, mas ...
- difícil ? - interrompi - difícil ? - gritei - ah, desculpa, realmennte, mil desculpas !, vou tirar esse grande peso das suas costas. Pra tooooodas as garotas que me odivam, fiquem felizes agora. O Kauã está solteiro.
Me virei e fui embora.
- ui, e a Mari delícia ta solteirinha tbm - algum garoto falou e riu dps dessa frase ridícula ¬¬*
Só ouvi 'um estrondo' e olhei, o punho do Kauã não parava de acertar o rosto do tal garoto. Eu não iria ficar ali pra ver o resto da briga. fodam-se.
- o kaio é um doce né mari ? - Luciana perguntava sorrindo, como se isso fosse verdade, ela sorria como se o filho dela fosse o presidente -'-
- ah sim claro - menti sorrindo - doce estragado - murmurei baixinho
- hãn ?
- doce maravilhado - dei um selinho nele e sorri forçado.
- ei amor, vamos viajar esse fim de semana, pra casa de praia, está a fim ?
- tenho que estudar - menti
- seu pai falou que lhe mudaria de escola - ricardo sabia demais, ele estava fazendo o pedido, pq se intrometeu aqui ? u_u
- ah, tenho que preparar algumas coisas.
- pensa nisso amor pf,
- blz - menti
- me dão licença, vou ao banheiro .
Cheguei lá, peguei o cigarro escondido na lateral da minha calcinha, junto com o esqueiro. Acendi, fumei. /avá Ignorei totalmente a placa de proibido fumar.
Logo apaguei aquela porra que estragaria meu pulmão .Q
- docinho demorou - o kaio é falso -'-
- já tava com saudade
Os pais dele não param de falar e falar ;x começaram a contar piadas do tipo, o navio ta voando e caiu no buraco. Ninguém em seu estado normal fala isso ¬¬*
Depois fomos pra casa dele.
- bem vinda à nossa casa Mari - mãe dele parecia gentil.
" bem vinda ao inferno " - pensei .
Fomos pro quarto dele.
- não sou obrigada a dormir com você ¬¬ ,
- é o chão é bem mais confortável - debochou ele
Eu ligava o pc dele, mesmo já enjoada de internet.
www.brasilporno.tv - estava salvo nos favoritos dele. ;x
- quer transar - é, eu devo estar no cio mesmo D:
- não . meus pais tão lá em baixo
- af ¬¬ você nasceu de chocadeira babaca ? acho que eles não se importam - acendi um cigarro .
- Amy Wine House , dá pra apagar essa porra ? - ironizou - me lembro de ter esquecido meus cigarros na sua casa
- não fode, quer falar de quem então ?

Fizemos apenas sexo oral, e depois tomei um banho e dormi.
Acordei estava cedo, e então eu peguei o pinto de plástico em minha bolsa e fui ao banheiro. Talvez eu esteja obcecada por sexo ;/
psé, tudo muda depois dos 14, ou não. Talvez seja só cmg. Não duvido.
Deixei um bilhete inútil e ridículo depois que tomei banho. 

Dei um jeito de sair e fui pra casa.
Chegando...
- oi mari - meu pai falava com um sorriso - te matriculei em uma nova escola, a High Light Sky - era a escola mais cara da cidade ;x - só vai começar depois das férias de julho.
- kibom. obrigada.
É, eu estava em uma nova escola, namorando, e meu pai estava se tratando da aids, acho que as coisas estão melhorando.


Acordei no dia seguinte, me arrumei, soltei meus cabelos, fiz um make leve, coloquei um all star de cano, e um shot jeans não muito curto, e a blusa da escola claro. Super sem estilo eu :S
Andei devagar até chegar a escola, encontrei um grupinho da minha antiga escola, mas eu os ignorei totalmente.
Cheguei lá atrasada :$' Entrei na sala 781, minha turma *-*
- bom dia - murmurei - sou a Mariana Bouvier. nova aluna - sorri sem jeito.
- ah, queridos, essa é a nova companheira de estudo de vocês, Mariana. - ela me apresentou - Mari, sou sua professora de Aritmética, seja bem vinda (:
- beleza.
- Mari, murmurou alguém.
- Olhei diretamente pra cadeira do tal sujeito.
- oi amor - sorri, não me lembrava que o Kauã estudava na High Light Sky, ér, antes minha escola era pública, talvez tenha sido isso a falta de comentários. D:
a sala logo ficou de gracinha, por causa de nós 2 *-* e não pude deixar de perceber que algumas garotas me fixavam com fúria, é o Kauã é lindo, talvez seja essa o motivo de tal raiva. Me sentei na frente dele.
- comportem-se - professora pediu.
No intervalo, eu comecei a me enturmar com algumas pessoas, e percebi o quanto o Kauã era popular ali. Enquanto nos beijava-mos, pareceu que a terra parou, e todos resolveram nos olhar, recebi de cara ódio de muitas garotas. Outras mal se importaram.

- amor, preciso ir ali, vou treinar um pouco
- treinar o que ? - perguntei
- hm, não contei. Eu jogo no time, STIFLERS
- blz, vou comer algo. e tentar me enturmar
Peguei um refrigerante qualquer em uma máquina e me sentei a uma mesa no centro do refeitório.
- hm, quem é você ?
- Mariana :$
- é o que do Kauã ?
- algo que você sonha ser ;) - é eu não precisava ser ignorante, mas ela tava vindo cheia de moral pra cima de mim, uma roupa tão curta que eu via a vagina dela, e mó jeito de patricinha. vtnc né ¬¬*
- ignorantezinha, deixa eu te falar, quem manda nessa escola é agente ok (: abre teu olhinho de chifruda - chifuda ? - e se liga.
- chifruda haha *-* sua inveja não me atinge - mostrei minha pulseirinha de olho grego, tão ninda Q - recalque de puta é assim mesmo.
Me levantei indo embora, é claro que eu não quero arranjar encrenca de primeira. Essas garotas pedem.
- oi - murmurou alguém
- oi respondi *-*
- eu sou Mike, prazer, e você é a Mariana né ?
- isso isso (:
- ok, essa é Sthefany. Prazer , pqp, preciso estudar D: beijo .qq
- Oi, Mari - intimidade de primeira ;o - bem vinda aqui *-* não liga pra essas putas não, tão assim cntg só por causa do Kauã
- ah, ok -sorri - o que tem de bom pra fazer aqui ?
- eu sou líder de torcida, mas tem muitas outras coisas por aqui *-*, tem turma de matemática, turma dos nerds - riu - turma das patricinhas - apontou aquelas garotas.
- líder ? parece legal hm.
- se tiver a fim, depois da aula te levo no ensaio, e se tu gostar agnt arranja um jeito de você entrar *-*
- voltei love - selinho do Kauã - oi Fany , já se conheceram.
- quero ser líder - murmurei
- líder ? - é, ele pareceu não gostar da ídeia .
- amores tenho que ir - fany se foi.
- líder ? - reclamou ele dnv - quer andar por aí igual um puta, de sainha e top, rebolando numa quadra pra 300 garotos ?

terça-feira, 2 de agosto de 2011

O silêncio se conteve.
- Mari, está me ouvindo ? - sorriu
- sim,
- sim está me ouvindo, ou sim namora comigo- riu
- os 2 - selinho
[aaa] ti fofo *-* é, nunca imaginei que eu e o Kauã pudessemos namorar /mentira É, talvez eu não seja boa o bastante pro Kauã, mas que se foda *-* eu gosto dele, e que seja eterno enquanto dure. pqp, acabei de começar , controle-se Mari u_u
É, ficamos a taaaarde inteirinha juntos, e ele quase que implorou pra eu ir pra escola dele, calme, não contei da história do meu pai. Quero ir pra uma escola possívelmente desconhecida D: ,
e no final da tarde ele foi embora .-. Meu pai chegou um tempo depois.
- hoje tem jantar
- parabéns - murmurei
- você ! você tem que ir ao jantar eu não, os pais do Kaio querem jantar com você.
- merda.

Me arrumei, não fiz nada extraordinário.
- leve roupas, vai dormir lá - alertou meu pai.
- é, vai trazer quem aqui em casa hoje - falava enquanto calçava meu tênis - a chapeuzinho vermelho ? pede pra ela trazer a vovó, fica muito mais sexy -debochei, não foi pra ter graça.
- haha, respeite-me.
- respeito ? - ri forçado - até onde sei, no seu dicionário de papai comedor de filha não existe respeito. - ele apenas se calou e saiu.
...
Fomos no tal jantar de limosine com o babaca do Kaio, é. Eles devem ser realmente ricos ;x ' Os pais dele juuuuram que a gente se ama e nascemos um pro outro, vamos ter filhotes e viver felizes ¬¬* - história pra boi dormir . É claro que nós não nos amamos.
- ta linda Mari - kaio paparicando -me
- haha, obg - continuei emburrada
- vtnc, funja que gosta de mim ao menos perto dos babacas do meus pais.
- vtnc você, você não sabe porra nenhuma de mim, posso ir embora se eu quiser agora, então acho bom ficar igual cachorro de madame já que você é tão rico, quieto e comportado.
Chegamos e ele puchou a cadeira pra mim, avá. mt fofo ¬¬
- cuide da sua vida - respondi
- ta marrentinha é ? acho bom não mexer com você vai que seu papai  vem aqui né.
- Cara, você me enoja - murmurei
- nojo de dar pro papai você não teve
Eu não tive resposta, minhas mão lançou-se em direção aquela cara de viada que ela tem, fazendo ela cair no chão, foi possível ouvir o barulho de suas costas baterem no chão. Meu corpo agiu contra minha vontade, eu estava em cima dela, enchendo a cara dela de tapas. Aliás, ela merecia muito mais, logo uma roda de briga se formou a nossa volta. E ela não gostaria de sair com fama de perdedora. Logo, o corpo dela recebeu uma força estranha, e agora, ela estava em cima de mim. Era eu que apanhava e isso não era bom.
- só pra você aprender que não deve mexer com a Mylena, sua vadia, vai dar pro papai vai.
Consegui me levantar, Mylena levantou-se. E incrivelmente consegui dar uma rasteira nela ;o ' Comecei a chuta-la, era impossível parar ali, eu não queria machuca-la pra valer, eu já tenho problemas demais. Eu parecia alguém sobre efeito de crack, o meu, era sobre o efeito Mylena. Mas eu pude parar. Coloquei a mãos na cabeça, com um desespero imenso. E então eu saí dali. É CLARO QUE EU ME ARREPENDI DO QUE FIZ.
Fui pra sala. As aulas passaram rápido. E finalmente eu pude ir pra casa.
Hahaha, mais surpresinha ao chegar em casa.
- o que ta fazendo aqui ? - perguntei
- seu papai me deu a chave - respondeu Kaio, esticado no sofá, se sentido.
- isso aqui não é sofá da Hebe, levante e vá embora.

- ei, relaxa gata. Preciso ir agora, mas depois agente se vê ok - me deu um selinho
Foi embora. Sentei no sofá, coloquei meus pés pra cima, apoiando tinha cabeça ao joelho. Quero chora, gritar, quero sumir.
Percebi que Kaio esqueceu uma carteira de cigarros aqui no sofá. Eu não iria devolver, cheguei ao fogão, e acendi um. Meu primeiro cigarro *-*, pude sentir aquela fumaça atravessar meus pulmões. Fumei 1, 2, no máximo 4 '-' Aquilo me relaxou bastante D:,
I don't wanna a tink about you ♪
- alô - murmurei
- oi Mari, quanto tempo não é *-*, to com saudades linda, aqui é o Kauã.
- ah, oi bb *-*, é , faz um tempinho, e aí, quer vim aqui ? - não, eu não vou transar com ele ok u_u
- agora ?
- se quiser.
- de boa *-* daqui à 10 minutos to aí.
- meia hora ? - perguntei tímida ;$
- ok - riu - beijo linda
- beijo.

Arrumei a casa depressa, e dentro de meia hora ele tava ali *-* Campainha tocou (:
- oi - sorri - entra
- oi Mari - me deu um selinho, me deixando surpresa, não temos nada muito especial - como você ta ?
- vou bem - menti - e você ?
- é, estou melhor agora - cantadinha velha, me beijou.
-----
lindas preciso ir, minha dinda precisa que eu cuide do meu primo e eu tenho que ir né :/

Não que isso me irrite, mas o Kauã deve estar achando que temos algo eu eim u_u Ele é um fofo, e super gente boa. Talvez eu seja a chata daqui -.-
Sentamos no sofá, ligamos um filme, só pra quebrar o gelo, nenhum dos 2 dava a mínima pro filme. Conversava-mos sobre tudo e nada *-* Era, um mundo, mas não importa o quanto as coisas são boas, elas precisam acabar :/ já disse isso não é, psé. Agente estava no paraíso haha *-*, é, era perfeito, já estávamos ali à horas, o assunto não acabava, e eu estava, de verdade adorando isso (: É, perdi a conta de quantos selinhos tinha recebido ali rs.
- ah, anjo, tenho que ir pra casa.
- poshinha – murmurei
- até logo, te ligo mais tarde ?
- é (: liga sim – selinho
- tchau então – sorriu

É, ele é um fofo vey *-*
Precisei sair também, fui andar por aí , preciso relaxar velho.
E então, quando dei conta, já estava tarde. Fui andando pra casa,muito calma, me aproximei da porta, e eu ouvia gritos, choros, e talvez até uns gemidos.

Tive medo de girar a maçaneta, não queria ver o que eu achava que iria ver. Abri a porta. Fui andando e parei em frente o quarto do meu pai.
- mas o que é isso ?
Papai, quer dizer, FERNANDO, estava com 2 pirralhas na cama. Deviam ter no máximo uns 8 anos. Eu queria matar meu pai. Queria denuncia-lo, que horrível. Meu pai estava louco, doente.
Eu não queria gritar, não queria ficar em silêncio, preciso desabafar, preciso de um amigo.
- Fer-fer-nando - gaguejei – você é louco, você é doente.
- vistam-se – ele gritou
Ascrianças obedeceram
- Mari, calma. – me segurou no braço
- tira a mão de mim, tenho nojo de você. Você-você não é meu pai. Às pessoas me odeiam por sua causa, você agora corre atrás de pirralhas de 8 anos ? morte não chega nem a um terço do que você merece.Você tem que apodrecer na cadeia.
As crianças saíram correndo.
- Mari, me perdoa, eu sou seu pai.
- não você não é.

- o que você vai fazer ?
- não sei, eu quero sumir.
Eu fui pro meu quarto. Não, eu não chorei, não esperniei, sério, eu não fiz nada. Até ignorei à 14 ligações do Kauã. :O :O :O Eu gosto dele, mas não quero falar com ninguém agora :/
I don’t wanna a tink about you ♪
Decimal quinta ligação :O
- alô
- oi Mari, o que aconteceu ?
- tava dormindo – menti
- ah, desculpa ><
- blz,
Ficamos conversando, a madrugada inteira, e mesmo depois do que vi, e mesmo depois de aguentar meu pai batendo na porta, eu consegui abrir uns 5 sorrisos ali, falando com o Kauã. Não, eu não iria pra escola amanhã, NÃO MESMO.

Acordei no dia seguinte. Andei até a cozinha. Meu pai estava com a cabeça sobre o mesa, levantou a cabeça, e reparei seus olhos enchados.

- me mude de escola – pedi
- escolha uma.
- não ligo, tanto faz.
- blz, Mari, me perdoe. Não me denuncia, eu vou mudar.
- não vou te denunciar. Não que eu acredite em você.Verdade, não acredito nem um pouco. Só não quero ir pra um abrigo ou coisa parecida.


1 SEMANA DEPOIS

Psé, estou 1 semana sem ir a escola. Meu pai me mudaria de escola no meio do ano. É, ele me mudaria. Eu via o Kauã todo dia, agente tava no maior love *-*
Campainha -.-
- oi BB *-*
- Mari, namora comigo ? – os olhos do Kauã focavam os meus, eu não sabia o que dizer.
SIM – pensei – mas, e meus problemas ? pai, Kaio, escola. Mas, eu não iria dizer não.
Eu estava arrumada, e realmente linda. Senti minha cabeça latejar com o som da campainha.
- Mari, minha linda, venha aqui. - começou meu pai com suas encenações.
- Diga papai. ah oi Ricardo.
- Olá Mari - ele me comprimentou - esse é meu filho, o Kaio, tenho certeza que serão mais que amigos - nossa, como ele era direto.
- é - sorri
- Mari, porq não vai pro quarto com o Kaio para se conhecerem - papai disse sorrindo.
Não é possível que meu pai deseje que eu transe com esse aí.
Fomos pro quarto, sentei na cadeira do pc. Kaio começou a falar -.-
- bom, nós 2 já sabemos o que nossos pais querem, pra mim tanto faz.
- ér, mas eu tenho minha vida né. E eu e meu pai temos um problemas pessoais, nada demais - é, ele só me come e depois me ameaça, rola com todas as famílias ¬¬
- quer transar ?
- sabe que só entraram os homens porquê vibradores não cortam grama, se eu quisesse transar, eu ligaria o pc e me masturbava com um pornô. Cale-se.
- puta que pariu. Meu pai quer que eu namore uma criança.
- vou te mostrar a criança - eu disse
Me movi em direção ao seu corpo, fazendo seus lábios tocarem aos meus com rapidez. Seu corpo estava quente, e o pau duro. ótimo, virgem, não pode chegar perto de mulher que fica exitado ¬¬

Então eu apertei o pau dele, e deixei que ele tira-se minha blusa como num impulso, e logo ele tirou a dele. Minha mão passeava por seu corpo, ele podia dar inveja à qualquer garoto.


FERNANDO NARRANDO
Eu estava sentando naquela cadeira, querendo que o Ricardo determina-se a hora dele ir embora. 
- vamos espiar o quarto ? - ele pediu
- ok , vamos. -murmurei
Será que a Mari está transando ? minha pele ficou pálida. Não sei se poço ver e ouvi minha filha sendo comida por alguém que não seja eu.
Nos aproximamos da porta, e gemidos altos pudemos ouvir, me controlei o máximo possível. " ah, me come , me fode, me fode, isso, vai Kaio, come essa bucetinha " Mari gritava igual uma cachorra. Espiei pela porta, e pude ve-la galopando sobre o pau do Kaio. Foi estranho, eu estava com ódio aquele momento. Parecia que iria explodir.
- deixe-me ver - pediu Ricardo.
- nossa, - foi só o que ele disse.




MARIANA NARRANDO

Nossa ;o eu acho que daria uma bela puta não é ?, haha *-* retiro o que eu disse sobre o Kaio não ser virgem :9' , ficamos ali por mais um tempo. Me admira os nossos pais não vierem nos ver. E então nos vestimos. Peguei o número do Kaio *-*, 
- hm, até que foi bom pra uma principiante - ele disse rindo. Saiu e bateu a porta. 
Idiota , nojento, ridículo. Cheio de si ¬¬' Fui atrás indo pra sala. 
- demoraram o que estavam fazendo ? - ricardo parecia curioso demais, pra algo que não era da conta dele. -'-
- jogando cartas - Kaio não sabe mentir, -.-
- vocês ? 
- não, minha avó de camisola - respondi sem a menor graça -.- 
- temos notícias boas - ele disse 
- temos ? - perguntei
- estamos namorando.
- é estamos - menti , damos um selinho. 
E então nos despedimos eles foram embora.
- bom trabalho Mari - papai falou rindo 
- haha - murmurei 
- eu vi o jogo de cartas que você tiveram, quer jogar com o papai - me lascou um beijo
empurrei ele. 

Acordei no dia seguinte com disposição para ir a escola. Aqueles vídeos precisavam ser excluídos, todos eles ! Mas implorar não iria adiantar, mas Mari tem planos ok u_u 
Cheguei lá na escola da forma mais calma, prestes a ignorar todos. Mas às pessoas ali deveriam me imaginar um prostituta, os garotos, antes que já não me respeitavam, agora muito menos. Fui expulsa do time de handboll, haha. Quero ver aquelas putas jogarem sem mim -'- 
- ei Mari - Mylena começou - porque faltou tanto ? tava com o que ? bronquite ? conjutivite ? sexyologite ? - riram - aliàs, veio vestida de freira hoje - mais risadas
E então palavras do tipo : hãn ? o que ? como ? começaram a rodar agente.
- é isso aê gente, a Marizinha aqui, deu pro papai - ela completou.
- resolveu inventar histórias bobas agora ? - eu disse
- bobas ? - ela riu - tenho histórico no pc, e tenho um vídeo de vocês 2 aqui no celular - ela riu denovo - mexeu com quem não devia fofa.


Guilherme


Kauã

Meus olhos ferviam agora, e todos pediam para ver o vídeo. Eu só queria chorar e sair correndo. Ela foi passando o vídeo por bluetooth para alguns, que já assistiam e jogavam trocadilhos. E então eu saí correndo dali. Meu pai estava de olho em mim, e hoje eu tinha prova. Tive medo daquilo chegar na boca da professora, ou coordenadora, tive medo de chegar na boca de alguma autoridade. Se resumiria em = papai preso, mari em um abrigo. E então lágrimas se escorreram, mal pude senti-las com o vento que batia em meu rosto à velocidade que eu corria. Eu fui pra casa, foda-se tudo. Não posso ficar ali, naquela escola.
Cheguei em casa, e fui pro quarto. Me desabar em lágrimas no travesseiro.
- o que aconteceu ? - meu pai perguntou.
- nada.
- o que aconteceu ? - ele repetiu.
- nada ! - gritei - resolveu se importar agora ?
- fala porra !
- descobriram tudo ! - gritei - descobriram das nossas brincadeiras, descobriram. Minha escola não fala em outra coisa. EU sou a putinha que dei po papai lá naquela escola.
Seu olhar foi de desespero.
- mas como ?
- como ? você deveria ter pensado 2 vezes em filmar aquilo. Emprestei a câmera pra Mylena, sem saber disso. Ela viu, agente brigou e ela disse pra escola toda. - meu tom de voz abaixou.
- mais um problema - ele gritou
- como assim mais um ? - murmurei
- ér. Mari, eu tenho aids.
Como ? como meu pai pode ter aids ? *-* Papai está prestes à admisnistrar uma empresa ? comocomo como ? pedófilo com aids . Não pude responder, apenas fui para o quarto. Chorar, e pensar. O que seria da Mari com aids ?

Acordei no dia seguinte, bem mais tarde do que de costume. Não fui à escola, óbvio. Aliás, foi assim que ocorreu durante uns 3 dias já. Estava sendo horrível. Parecia que eu estava presa em um daqueles pesadelos apavorantes em que você precisa correr, correr até os pulmões explodirem, mas não consegue fazer com que seu corpo se mexa com rapidez suficiente. (Lua Nova pág 11)
- ei, vamos fazer o exame de aids. Se arrume e vamos ao laboratório.
- não quero sair de casa - murmurei
- ah ta --' Vai ficar aí até morrer ?
- se você toma-se cuidado onde enfia esse seu piruzinho de merda, talvez eu não estivesse aqui, jogada nessa cama.
- não tenho tempo pra isso agora, são 10:30, às 11:30 eu quero você pronta.
Tomei banho, me admira Sr. Fernando estar preocupado comigo, ele não demostrou preocupação nas últimas semanas. Talvez seja por isso que eu esteja indo ao médico. Às 11:10 eu estava pronta já ;s
- vamos ? - perguntei
- ok,
Fomos ao laboratório, lá estava mais lotado. Mas eu fui atendida logo.E em alguns dias o resultado estaria pronto.

3 DIAS DEPOIS
Acordei. NOSSA, eu não vou à escola à dias já. Esse fim de semana foi um cú. E hoje é segunda. Preciso ir à escola G_G.
- bom dia - murmurei ao atravessar a sala
- bom dia - meu pai respondeu - precisamos conversar
- diga - respondi sem interesse nenhum.
Meu olhos fixavam a TV.
- pode ao menos olhar pra mim ? - pediu ele.
- fala - olhei.
- você sabe que eu vou administrar a Strikinight, e sabe que o dono daquela porra é o Ricardo.
- o que eu tenho haver com isso.
- cale a boca e escute - reclamou - sabe que ela tem um filho que tem em média sua idade. O Ricardo me proporcionou que se. Acho que entendeu.
- que que eu namore o filho dele ?
- ISSO.
- haha, sonhe. O que aconteceu com você ? primeiro era meu pai, depois um louco, e agora, não sei mais quem você é.
- não me provoque, não me obrigue a fazer merda de novo. Não estou curado, você convive comigo, não sabe o quanto é difícil ter que me segurar. Não quero ouviu sim ou não. A resposta já está dada, quem escolhe sou eu. Mais tarde ele virá aqui, espero que esteja bem bonita e arrumada. Se eu não conseguir o emprego. Você está fudida.
Pois então, às 20:00 hrs chegaram, e eu não queria sair. Mas eu já tinha marcado, não fui na outra vez, e então o Kauã acharia que eu dei o bolo nele, que eu não estava a fim, mas eu estava. Não me arrumei muito.
A rua Cesar Moreira ficava à uns 15 minutos da minha casa, eu pudia ir andando. Não entendi porque um lugar tão longe, aquela rua é pequena, não muito movimentada. Talvez ele esteja preparando algo especial. Estranhei meu pai não estar em casa, já eram 19:30 e ele não apareceu. Eu já estava louca tentando ligar pra Mylena. E não consegui. Avistei a câmera, seria bom levar. Achei que a câmera tivesse com a Mylena, havia emprestado a ela.
Eu fui passando foto por foto, cada foto linda ali, bons momentos, me fizeram quase chorar *-* , mas eu segurei minhas lágrimas, pois não queria demostrar a emoção (music ' Mas um vídeo chamou minha atenção. Rodei, e era eu e o meu pai. Eu choquei ali, eu não queria ver aquilo até o fim, mas como, como meu pai filmou aquilo ? , percebi que no vídeo apareci certa parte do porta-retrato, resumi : ele escondeu no armário, mesinha, etc D: Excluí, mas me preocupei, a câmera estava com a Mylena, se ela viu isso, estou fudida. Apesar de que já havia contado a ela.
E então já eram 19:45, peguei minhas coisas, deixei a câmera de lado, estava com nojo daquilo. E enfim fui. Dei de cara com meu pai ao passar pela porta. Tremi.
- vai aonde ?
- vou sair, não ta vendo ?
- fala direito, ainda temos que terminar aquela brincadeira. Amanhã vou chamar uns amiguinho aqui pra te conhecer, se não tiver em casa às sete, está fudida.
Não respondi, fiz uma cara de nojo, e continuei andando.

faltava pouco pra chegar no lugar marcado.
Everybody sing  - celular tocando,
- alô - murmurei
- oi linda, tudo bem ? - voz do Kauã, mas ele parecia ta muito calmo, desconfiei desse encontro.
- sim sim, onde cê ta ?
- to em casa porquê ? quer sair ?
- ah, não é nada, hj nem dá, preciso terminar um trabalho de física - menti
- ok ok , bb dps agnt se fala então, tchau.
- tchau .
Fim da Ligação;
Cheguei no lugar marcado, a rua estava vazia, era iluminada por apenas 3 postes. Eu sabia que isso não era certo, mas eu queria ir adiante, porque alguém fingiria ser o Kauã ? e porq estava atrás de mim ?

E então eu andava, já estava toda fudida mesmo, não liguei. Mas a rua estava vazia, o relogio marcava 20:04. Mas 3 garotos se aproximavam, pareciam ter 20 anos, algo tapava os rostos, e eles tinham armas pesadas. E então eu percebi a encrenca que tinha me metido.
- o que vo-vocês querem ? - perguntei
- só deixar um recadinho, mas antes deixa eu te falar uma coisa - só ele falava, os outros 2 ficavam em silêncio, e ele ficava no meio , ele devia ser um tipo de 'líder' - percebe que tem 2 caras em cada lado da rua né - ele continuo - se tentar fugir, não vai muito longe. Todas às armas estão com 5 balas, se não fizer o que eu mandar, já era.
Todos tinham armas, 7x5 = 35 - tremi - ele continuou falando .
- Só vou te dar um aviso, vacila com a Mylena denovo, e você vai ta muito fudida, não sabe onde se meteu ok. você me ouviu ? - não respondi - me ouviu porra ? - ele gritou
- ouvi - respondi
- hm, você é gostosinha, não é atoa que seu papai não brinca em serviço .
- como você sabe disso ?
eles riram.
- não é nada, aviso ta dado, acho bom não vacilar.

E então eles foram embora, tenho medo de denunciar meu pai. Não quero ir pra um abrigo *-* deve ser horrível, não quero largar tudo que tenho.
Fui pra casa, tomei um banho, meu pai dormia no sofá com um pornô rodando na tv.
Deitei. Liguei pra Mylena.
- alô - ela disse.
- Mylena, como você pôde fazer aquilo comigo ?
- eu ? você pegou o meu namorado.
- não, ele passou aqui te procurando, e ele me beijou. Você logo pareceu.
- não foi o que ele me disse.
- o que esperava ? que ele dissese : minha linda, peguei sua amiga, espero que não se importe, ainda podemos transar e viveremos felizes como em os Simpsons, teremos 3 filhos abobados e moraremos em um muquifo. - aumentei o tom - quer saber Mylena, você que se foda. Eu não faria aquilo contigo, não acredito que colocou 7 bandidos atrás de mim. Eu poderia ter morrido.
- haha, engraçadinha você. Na verdade mandei só 3, que bom que mandaram mais. Morte ? - ela riu sarcasticamente - morte não é nem metade do que você merece.
FIM DA LIGAÇÃO
Como assim morte não é nem o que eu mereço ? aquele puto que queria transar comigo. MIL DESCULPAS se os homens não resistem a mim. FODA-SE tudo. A vida é minha, eu faço o que eu entender. Vou virar a capeta em pessoa, e às pessoas realmente vão ter o que reclamar da Mariana.

Acordei, fiz minha higiênie. Coloquei um short jeans apertado, uma rasteira havaiana e a blusa da escola. Papai dormia no mesmo lugar que o encontrei ontem a noite.
Saí de casa, pronta pra levantar a cabeça, e estar disposta a ver que não tenho amigos, não tenho namorado, não tenho nada. Mas sei que não vou abaixar a cabeça, não vou dar adeus a nada. Não vou desistir tão fácil.
Mas, sabe quando você entra em um lugar, e vê que todos  te observam e sabem que estão falando mal de você ?, foi assim que aconteceu logo que entrei na escola.
- lá vai a traíra - alguém murmurou, logo percebi que foi a Mylena.
- cale a boca, se seu namorado tivesse satisfeito com você ele não teria me procurado - eu disse, não sou boa com foras ok u_u
- haha, você que é puta de querer dar à ele.
E então, eu lancei um tapa na cara dela. Rapidamente ela revidou. Mas nós não brigamos, o olhar dela era furioso, ela entraria em chamas ali se alguém não à impedisse.
- você que procurou ele - ela murmurou
- não, ele queria alguém para satisfaze-lo. Você não pode fazer isso. - o olha dela piorou.
- você sabe muito bem satisfazer alguém não é ? Seu papai sabe muuuuuito bem disso.


E então eu entrei em casa *-*,
- foi só um beijo, só um beijo ! - falei pra mim mesma
Tomei banho, fiz minha higiene, amanhã seria a prova final de recuperação eu teria de estudar. Logo seria o acampamento e eu iria, seria bom ficar longe do meu pai, e de tudo.
E então a campainha tocou *-* eu não estava apropriada pra atender, calcinha, uma blusa apertada.
- ér, oi Mari
era o gui, o namo da Mylena, porque diabos ele estaria na minha casa ? u_u
- hm, oi
- a Mylena, ér, ela não ta aí ? - percebi que qnd ele falava, ele não olhava pra mim, e sim pro meu corpo.
- não,
- posso entrar ?
- se quiser entrar, pode, vou botar um short.
- não, ta uma delícia assim.
- ei ei ei, você é o namorado da minha melhor amiga, não acha melhor você se comportar ?
- rlx Mari,
e então ele me puchou, num movimento quente e calmo ao mesmo tempo nos beijavamos, eu queria, mas não consegui parar. A mão dele envolvia minha bunda, mas logo se moveu para tirar minha blusa. Que novidade, garotos só pensam em transar. E então, eu congelei, ao ouvir a massaneta girar. E de início pensei que fosse meu pai, mas reparei que não quando vi o rosto. Era a Mylena, a minha mylena.
E então, eu senti meu mundo devagar ao reparar que lágrimas saiam de seus olhos azuis. Não adiantaria me desculpar nem dizer a típica frase "não é o que você está pensando", ela não pensava, ela via.

E então eu tremi, vesti minha roupa, mas ela já havia saído correndo, o Guilherme foi atrás, e eu não tinha reação. Eu não sabia se chorava, se gritava, nada adiantaria. A merda estava feita. Eu tomei um banho. E um tempo depois liguei pra Mylena.

"O número que você ligou está fora da área de cobertura ou desligado"

Eu não me atreveria a ir na casa dela agora, ela e mãe dela eram super amiga, provavelmente ela já saberia. Então eu tentei o msn, eu tentava tudo que estava ao meu alcance pra falar com ela *-*

@ Mariana B. acabou de entrar.

Novo convite, denovo ; kaua006123@hotmail.com
act novo msn

Aceitei, e ele tava on, mas eu não tinha cabeça pra falar com ele *-*, já que minha Mylena não tava on.

Kauã diz :
Oi ,
@ Mariana B. diz :
oi,
Kauã diz :
vamos nos ver hoje a noite ?
@ Mariana B. diz :
não to bem :/
Kauã diz :
faço você melhorar.
@ Mariana B. diz :
ok né DD: lugar ?
Kauã diz :
Me encontra na Rua César Moreira, às 20:00 hrs.
@ Mariana B. diz :
ok.
Kauã diz :
to indo, beijo.
Kauã desligou-se.

Eu estava percebendo o quanto eu mudei *-* Tudo está mudando quando eu viro de costas eu fico fora de controle eu sou inconstante. Eu estava com medo, com medo de perder minha melhor amiga, com medo do meu pai. De tudo. A vida é algo tão valioso que as vezes não sabemos como usa-la e aproveita-la, e dai nasce o medo.
Como eu posso pensar em encontro quando traio minha melhor amiga ? Quando meu pai é um pedófilo horrível, quando tudo está indo por água abaixo. Entendi o que é sexo , ou pelo menos aconteceu comigo, quando não se tem não se pensa em outra coisa, é só querer transar e transar, e quando se tem, penso apenas em outras coisas. Sexo passou de diversão, para um ameaça pra mim.